ATENDIMENTO
(27) 3434-2050
8h30 às 12h e 13h30 às 18h
ÁREA RESTRITA AOS ASSOCIADOS
CNPJ:     Senha: 
Esqueci a senha     
Fale Conosco    
início
O Sinduscon-ES Serviços Informações Comissões CUB Eventos e Treinamentos Cartão do Associado
Informações
• Calendário de Feriados
• Campanha de Doação de Sangue
• Censo Imobiliário
• Convenções Coletivas
• Documentos Relações Trabalhistas
• Dados Setoriais
• Download
• Indicadores Financeiros
• Licitações Encerradas
• Links Úteis
• Notícias da Imprensa
• Notícias do Sinduscon-ES
• Salários
• Sinduscon-ES Informa
• Sinduscon-ES Jurídico
CBIC lança Guia de Ética e Compliance para a construção civil
28.06.2016   
Notícia - Sinduscon
O presidente da Câmara Brasileira de Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins, reuniu no último dia 15 de junho, em Brasília, empresários da construção civil e do mercado imobiliário, representantes do Judiciário e especialistas para discutir medidas que previnam a prática de corrupção.

Durante o Seminário Ética & Compliance para uma gestão eficaz, correalizado pelo SESI Nacional, a entidade lançou o Guia de Ética e Compliance para Instituições e Empresas da Construção Civil, documento orientativo com premissas para fortalecer os mecanismos de controle interno e modernizar a gestão de entidades e empresas; e apresentou 12 pontos cuja correção o setor considera essencial para evitar o registro de desvios e fomentar maior avanço no combate corrupção. “Há dois anos a CBIC começou um trabalho de conscientização e agora avançamos na capacitação, colocando à disposição do setor e da sociedade ferramentas modernas para fortalecer o controle interno”, enfatizou José Carlos Martins, presidente da CBIC.

Procurador do Ministério Público Federal junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Júlio Marcelo de Oliveira defendeu maior diálogo entre o setor público e empresarial para a busca de avanços nesse campo. “Não vamos construir um país sem a força motriz do setor privado”, disse Oliveira, que também defendeu medidas para o Brasil superar um quadro de corrupção sistêmica. “É preciso criar uma cultura de respeito às regras e de tolerância zero com práticas antiéticas”, acrescentou.

Presidente da Associação dos Juízes Federais (AJUFE), o juiz Antônio César Bochenek afirmou que o combate à corrupção não pode ser feito apenas pela repressão, mas deve dar prioridade também à prevenção. “A CBIC está no caminho correto, quando prepara e organiza um sistema de prevenção”, afirmou. Para ele, a prevenção é o caminho ideal para políticas de controle e combate à corrupção. Bochenek concordou com o procurador Júlio Marcelo na avaliação de que a sociedade brasileira cultiva novos paradigmas. “A população quer regras mais efetivas para uma transformação do cenário que vivemos e dar condições de oportunidade e igualdade a todos, para que todos possam desenvolver suas atividades e, com isso, o Brasil possa avançar”, afirmou o presidente da AJUFE.

MUDANÇA CULTURAL – A preocupação com o que foi apontado como uma cultura da corrupção foi uma constante durante o debate. Especialista em licitações públicas, o advogado Fernando Vernalha defendeu a revisão de práticas e prerrogativas da administração pública que abrem espaço para desvios. “´É necessário fazer uma revisão do marco legislativo para reduzir as janelas para a corrupção. São prerrogativas exorbitantes da administração pública que abrem espaço para esse tipo de prática ilegal”, enfatizou.

COMBATE À CORRUPÇÃO – Ao tratar de licitação e contratos públicos, José Carlos Martins defendeu a correção de 12 pontos considerados importantes para prevenir desvios e fortalecer o combate à corrupção: a importância da qualidade de projetos; o não agrupamento de obras; definições prévias de licença ambiental; garantias contratuais; utilização de um orçamento responsável; equilíbrio na gestão contratual; disponibilidade de recursos; cumprimento dos contratos; transparência na cronologia dos pagamentos e alertou para os riscos das exigências excessivas. “A busca da isonomia é vital no processo licitatório”, destacou o dirigente.

O presidente da CBIC ainda propôs a criação de um canal de comunicação, aberto e transparente, para que as empresas possam denunciar aos órgãos de controle irregularidades, como desvios, exigências desmedidas, licitações dirigidas e, assim, colaborar com a legalidade nos processos licitatórios.

Confira aqui as publicações:

Guia de ética e compliance para instituições e empresas do setor da construção

Código de conduta concorrencial

Compartilhar:


 
SINDUSCON-ES - Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Espírito Santo
Av. Nossa Senhora da Penha, 1830, 3º andar
Barro Vermelho - Vitória - ES - CEP 29057-565
(27) 3434-2050

8h30 às 12h e 13h30 às 18h