ATENDIMENTO
(27) 3434-2050
8h30 às 12h e 13h30 às 18h
ÁREA RESTRITA AOS ASSOCIADOS
CNPJ:     Senha: 
Esqueci a senha     
Fale Conosco    
início
O Sinduscon-ES Serviços Informações Comissões CUB Eventos e Treinamentos Cartão do Associado
Informações
• Calendário de Feriados
• Campanha de Doação de Sangue
• Censo Imobiliário
• Convenções Coletivas
• Documentos Relações Trabalhistas
• Dados Setoriais
• Download
• Indicadores Financeiros
• Licitações Encerradas
• Links Úteis
• Notícias da Imprensa
• Notícias do Sinduscon-ES
• Salários
• Sinduscon-ES Informa
• Sinduscon-ES Jurídico
CBIC busca solução para o problema do preço do asfalto junto ao DNIT
05.06.2018   
Notícia - Sinduscon
A Comissão de Infraestrutura (COP) da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) se reuniu, na última quarta-feira (30), com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e outras entidades do setor da construção civil para discutir o aumento mensal do preço dos materiais betuminosos do asfalto e buscar uma solução conjunta para resolver esse problema. A principal questão que tem afetado o mercado é que o aumento dos preços vem acontecendo em uma velocidade maior que o tempo de reequilíbrio de contrato com o DNIT, que é anual. De 2014 até hoje, nos contratos em andamento, há uma variação de 170% nos preços dos materiais asfálticos.
Além da equipe técnica da autarquia vinculada ao Ministério dos Transportes, participaram da reunião representantes da Secretaria de Desenvolvimento da Infraestrutura (SDI) do Ministério do Planejamento, do Sindicato Nacional da Indústria da Construção Pesada (Sinicon) e da Associação Nacional das Empresas de Obras Rodoviárias (Aneor).
Carlos Eduardo Lima Jorge, presidente da COP/CBIC, informou que três soluções foram apresentadas para se resolver o problema, mas que a ideal, a qual atenderia por completo as necessidades do setor, é difícil de ser garantida. “Tivemos em mente conseguir a melhor solução possível, aquela com mais condições de aprovação, dada a situação insustentável que se colocam as nossas empresas”, explicou.
A proposta de melhor viabilidade e com menores riscos consiste na alteração parcial da Instrução de Serviço nº 15/2016 do DNIT, mudando a fórmula e o conceito que caracterizam o desequilíbrio de contrato. “Com isso, mais de 70% dos contratos atingiriam a condição de caracterização de reequilíbrio. É uma proposta que está bem consistente, podemos considerar que foi um passo bem positivo”, comenta Lima Jorge.
Na próxima quarta-feira (6), o DNIT levará a proposta para o Tribunal de Contas da União (TCU) e, na sexta-feira (8), o grupo volta a se reunir para saber o resultado desse encontro e discutir outros detalhes importantes nessa questão, como o PIS/Confins nos levantamentos de preços e a defasagem na tabela de preços da Agência Nacional do Petróleo (ANP). A meta do DNIT é soltar uma nova instrução normativa ainda em junho.
Compartilhar:


 
SINDUSCON-ES - Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Espírito Santo
Av. Nossa Senhora da Penha, 1830, 3º andar
Barro Vermelho - Vitória - ES - CEP 29057-565
(27) 3434-2050

8h30 às 12h e 13h30 às 18h