ATENDIMENTO
(27) 3434-2050
8h30 às 12h e 13h30 às 18h
ÁREA RESTRITA AOS ASSOCIADOS
CNPJ:     Senha: 
Esqueci a senha     
Fale Conosco    
início
O Sinduscon-ES Serviços Informações Comissões CUB Eventos e Treinamentos Cartão do Associado
Informações
• Calendário de Feriados
• Campanha de Doação de Sangue
• Censo Imobiliário
• Convenções Coletivas
• Dados Setoriais
• Download
• Indicadores Financeiros
• Licitações Encerradas
• Links Úteis
• Notícias da Imprensa
• Notícias do Sinduscon-ES
• Salários
• Sinduscon-ES Informa
• Sinduscon-ES Jurídico
Comissão de Infraestrutura debate nova lei de licitações
06.12.2018   
Notícia - Sinduscon
A Comissão de Infraestrutura (COP) da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) se reuniu na segunda-feira (03/12), no Sinduscon-PR, em Curitiba, para discutir amplamente sobre a nova Lei de Licitações, que está em análise no Congresso Nacional.

O presidente da COP/CBIC, Carlos Eduardo Lima Jorge, abordou em conjunto com o vice-presidente da CBIC, José Eugenio Gizzi, e o advogado Dr. Fernando Vernalha, os 20 pontos positivos do Projeto de Lei 1292/1995 que revoga as leis de Licitação e do Pregão e, parcialmente, a Lei do Regime Diferenciado de Contratações (RDC) –, criando uma única normatização para as modalidades de licitação e contratos da Administração Pública.

Na visão do Dr. Fernando Vernalha, um dos pontos mais relevantes do novo texto é a determinação de que a expedição da ordem de serviço para execução de cada etapa deve estar obrigatoriamente precedida de depósito em conta vinculada. "Esta é uma das inovações mais relevantes, pois assegura recurso para pagamento e consequentemente mitiga o risco de paralisação de obras", frisa, acrescentando ser muito importante promover um estudo das causas das paralisações que existem hoje no País, e somam mais de 4.700 obras. "Às vezes é por intervenção do controlador, ou por falta de orçamento, mas por vezes é inexecução de empresas que se canabalizaram no pregão", reforça.

Também foram apresentados os 13 pontos negativos que levam o setor a não aceitar o PL como está redigido hoje. Lima Jorge destaca a forma como estão atribuídas as definições de sobrepreço e superfaturamento, e suas penalidades. "Estamos tentando ainda tirar esta definição do Projeto de Lei ou pelo menos melhorar sua redação, para torná-la mais equilibrada", reforça o presidente da COP.
Compartilhar:


 
SINDUSCON-ES - Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Espírito Santo
Av. Nossa Senhora da Penha, 1830, 3º andar
Barro Vermelho - Vitória - ES - CEP 29057-565
(27) 3434-2050

8h30 às 12h e 13h30 às 18h