ATENDIMENTO
(27) 3434-2050
8h30 às 12h e 13h30 às 18h
ÁREA RESTRITA AOS ASSOCIADOS
CNPJ:     Senha: 
Esqueci a senha     
Fale Conosco    
início
O Sinduscon-ES Serviços Informações Comissões CUB Eventos e Treinamentos Cartão COVID-19
Informações
• Calendário de Feriados
• Campanha de Doação de Sangue
• Censo Imobiliário
• Convenções Coletivas
• Documentos Relações Trabalhistas
• Dados Setoriais
• Download
• Indicadores Financeiros
• Licitações Encerradas
• Links Úteis
• Notícias da Imprensa
• Notícias do Sinduscon-ES
• Salários
• Sinduscon-ES Informa
• Sinduscon-ES Jurídico
Construção civil é essencial para a retomada da economia
15.05.2020   A Tribuna
Notícia - Imprensa
Recentemente, o presidente da República, Jair Bolsonaro, assinou um decreto classificando a construção civil como um serviço essencial ao País. A medida facilita a continuidade de obras, desde que respeitados os cuidados para prevenir a transmissão da Covid-19.

Não tivemos a paralisação da atividade no Espírito Santo. O setor, desde o anúncio da pandemia, aderiu de imediato às orientações e recomendações do governo do Estado e do Ministério Público do Trabalho na adoção das ações de prevenção.

Mesmo assim, recebemos com satisfação o reconhecimento do governo federal em classificar a indústria da construção como um serviço essencial. O setor emprega mais de 2 milhões de trabalhadores nos 26 estados e no Distrito Federal e tem uma grande capacidade de irrigar a economia como um todo.

Estudo demonstra que quando se faz habitação e obras, 97 outros setores são impactados, 62 atividades comerciais e industriais e 35 atividades ligadas aos serviços. Então, se quer irrigar a economia, tanto pelas atividades quanto pelas localidades, necessita ser através da construção civil.

Mas precisamos ir além. No cenário pós-pandemia, esperamos da União ações efetivas que garantam o desenvolvimento por meio de investimentos e não somente de incentivo ao consumo. Precisamos fortalecer a competitividade da indústria brasileira.

Esperamos que a escolha do presidente Jair Bolsonaro seja a de promover medidas estruturantes. O cenário pós-pandemia pede segurança jurídica como forma de assegurar investimentos no Brasil. Pede redução da pesada carga tributária imposta a todos os brasileiros. Pede menos burocracia.
Para mudar a direção que hora é apresentada pelos indicadores econômicos, será preciso estimular os setores de resposta mais rápida, como o da construção civil, e tirar do papel projetos que farão diferença no desenvolvimento. Mais do que nunca, será o momento de fomentar a infraestrutura no País para dar competitividade à economia. Fomentar também o saneamento e a habitação para dar dignidade ao cidadão.
Uma das amarras da infraestrutura no País é a insegurança jurídica, que poderá ser enfrentada com uma nova lei de licitações que equilibre os deveres e as responsabilidades entre contratantes e contratados, com o respeito aos contratos, com a proteção jurídica aos atos legítimos praticados pelo administrador público, com a autonomia e profissionalização das agências reguladoras, e com a revisão da interferência excessiva dos órgãos de fiscalização e controle nos meios de produção.

Agora estamos cuidando da prevenção e da saúde. Logo, logo, será o momento de cobrarmos ações econômicas e políticas dos governos para que tenhamos um novo País, bem melhor para todos.

Paulo Baraona é presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-ES)
Compartilhar:


 
SINDUSCON-ES - Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Espírito Santo
Av. Nossa Senhora da Penha, 1830, 3º andar
Barro Vermelho - Vitória - ES - CEP 29057-565
(27) 3434-2050

8h30 às 12h e 13h30 às 18h